Energias Renováveis: Sustentáveis para o Ambiente, sustentáveis para a Economia

Energias Renováveis: Sustentáveis para o Ambiente, sustentáveis para a Economia

Segundo o relatório de 2019 do Renewables Global Status Report, Portugal é o 5º país com maior utilização de energias renováveis no mundo, sendo apenas ultrapassado pela Dinamarca, Uruguai, Irlanda e Alemanha. Com estes dados é possível constatar que a percentagem de energias renováveis no total de energia consumida no país atingiu em 2018 aproximadamente 25% do total de consumo energético do país.

No que respeita à produção de energia elétrica, segundo dados da REN e APREN – Associação Portuguesa de Energias Renováveis, a Produção de energia elétrica a partir de fontes renováveis durante o presente ano (de Janeiro a Agosto), situava-se em 51,8%, ficando a parte respeitante à utilização de combustíveis fósseis restrita a sensivelmente 48,2%.

Atualmente, a maioria da energia renovável em Portugal é proveniente de fontes eólicas. No entanto, o país tem um grande potencial para o aumento da exploração de outras fontes, ora vejamos os exemplos relativos à energia solar e hídrica:

  • Portugal é um dos países do mundo com maior exposição solar anual
  • A Zona económica exclusiva de Portugal é a 3ª maior da Europa e 11º do mundo

Ou seja, apesar da supremacia atual da energia eólica, o potencial hídrico e solar do país é igualmente elevado e com grande capacidade de crescimento. Aliás, todas as fontes de energias renováveis no território português têm margem de crescimento – as perspetivas para os próximos anos são de continuidade de crescimento em detrimento dos combustíveis fósseis, diminuindo a pegada ecológica do país e promovendo a economia circular.
Nos últimos oito anos, o impacto económico das energias renováveis em Portugal foi de 2,4 Mil Milhões de Euros.

Nas palavras de Pedro Amaral Jorge, Secretário-geral da Associação Portuguesa de Energias Renováveis:

“Temos uma balança líquida de importação de energia de tudo aquilo que não é produzido localmente. Continuamos a comprar carvão, petróleo bruto para os transportes, algum refinamos cá, outro compramos já em combustível líquido. Mais gás natural para uma quantidade de usos energéticos.” Referiu o secretário-geral da APREN, relativamente à situação atual, em que o país está ainda dependente energicamente do exterior.

Pedro Amaral Jorge, destacou ainda as vantagens do desenvolvimento de energias renováveis em Portugal, a nível económico. “Podemos transformar essas importações, que são saídas de capital de Portugal, para fazer investimentos em Formação de Capital Bruto e com isso fazer o crescimento direto do PIB com crescimento do emprego, do desenvolvimento económico e social e com a melhoria das condições de vida”

No campo económico, Portugal tem inúmeras vantagens em aumentar a aposta neste tipo de soluções energéticas. O país tem potencial para se tornar um grande produtor de energias renováveis, ao contrário do que acontece com os combustíveis fósseis onde existirá sempre a necessidade de importação dos mesmos (seja gás natural, petróleo, carvão). Para além da eficiência de custos na utilização das energias renováveis, a transição de matérias-primas onde o país é importador (combustíveis fósseis) para aquelas onde é produtor (energias renováveis), terá um impacto positivo na Balança Comercial do país, na valorização da produção interna e no aumento do crescimento económico.

A Eficiência Energética, a economia circular e utilização de fontes de energias renováveis fazem parte das prioridades estratégias de Portugal e da União Europeia, existindo vários apoios e programas para a sua implementação. Caso pretenda saber mais sobre as medidas enquadráveis na sua empresa nestes temas, conte com o nosso apoio. Contacte-nos!

 

Fontes:
Renewables Global Status Report
Associação Portuguesa de Energias Renováveis
Redes Energéticas Nacionais