Formação – Investimento versus obrigação

Formação – Investimento versus obrigação

No quotidiano das empresas já existe a consciencialização da formação não como um gasto, mas sim como um investimento que incrementa o capital intelectual da empresa, contribuindo para os resultados da organização em quatro pontos essenciais:

 

  1. Produtividade – a qualificação conduz à redução do tempo despendido, logo mais produção e rentabilidade;
  2. Atualização – as constantes atualizações tecnológicas e legais obriga a adaptar processos/tarefas a novas realidades;
  3. Diferenciação – Um profissional qualificado e atualizado conduz a uma organização devidamente estruturada e como tal garante da qualidade perante o exterior;
  4. Inovação – Novos conhecimentos, promove a criatividade podendo conduzir a novos processos/tarefas e até mesmo novos produtos.

 

A formação profissional, para além de um investimento importante na empresa, assume a natureza de obrigação. A recente alteração ao código de trabalho vincula essa obrigação, ao legislar o direito de cada trabalhador a 40 horas de formação anual, acrescentando 5 horas às anteriores 35.

Se pretende simultaneamente cumprir a legislação e investir no seu capital humano, encontra- se aberto até final do ano a possibilidade de se candidatar a um projeto de formação autónoma, assegurando a formação no próximo biénio 2020/2021, totalmente financiada!

 

A Estrategor – Consultores de Gestão, Lda possui vasta experiência na elaboração e acompanhamento de candidaturas de formação profissional financiadas. Para obter mais informações ou enquadramento, contacte-nos.